quinta-feira, 1 de maio de 2014

Mapa Natal de Freddie Mercury

Se alguém dissesse a você que a voz mais bonita e versátil do Rock é de Farrokh Bulsara - ou Pharōkh Balsārā, em Gujarat, a língua nativa de seus pais - nascido em Zanzibar (Tanzânia) em 5 de setembro de 1946, às 05:10, filho de pais indianos, provavelmente a sua reação seria: "Quem?".

Na verdade, você quase acertou: a resposta certa seria "Queen", ou melhor Freddie Mercury, cidadão britânico, pois em 1946 tanto a Tanzânia quanto a Índia pertenciam ao Império Britânico (http://www.freddie.ru/e/bio/http://en.wikipedia.org/wiki/Freddie_Mercury).

Provavelmente devemos às origens indianas de Freddie o fato da sua hora de nascimento ter sido registrada e divulgada (boa parte dos roqueiros ocidentais com mais de 40 anos não tem essa hora registrada, ou ao menos divulgada): para os indianos, a astrologia é algo levado a sério e é costume fazer o mapa natal das crianças logo após o nascimento.

Isso nos permite explorar um pouco mais o mapa desse grande vocalista, compositor e sensacional showman. Vamos lá?


Nas apresentações do Queen ao vivo, Freddie tinha performances teatrais, dramáticas, provocativas, magnéticas, que arrebatavam a audiência; quem viu shows ao vivo do Queen sabe como era difícil tirar os olhos do tio Farrokh correndo, dançando, pulando, interagindo com a platéia e soltando aquele baita vozeirão. Tive a oportunidade de ver o Queen se apresentar no estádio do Morumbi em 1981: foi um p#t@ show, o Queen foi ótimo e o Freddie foi duca!

Longe dos palcos e holofotes, porém, Freddie era descrito como tímido e retraído, principalmente com pessoas que não conhecia bem, e dava poucas entrevistas. Como pode?

O mapa de Freddie nos ajuda a entender isso:
- o Sol  - que representa a essência da pessoa -  está em Virgem, signo caracterizado por ser metódico, atento a detalhes, perfeccionista, exigente e suscetível a críticas, e também tímido ou reservado... Esse perfeccionismo pode ser visto na música mais famosa do Queen, "Bohemian Rhapsody": uma música de estrutura complexa, com mudanças e quebras de ritmo, considerada uma opereta de rock, mas acima de tudo com Freddie tocando o piano - como tocou em várias outras músicas, pois aprendera piano quando criança, com um talento testemunhado por muitos - porém duvidando da própria competência para tocar perfeitamente o piano sem esquecer alguma nota, e assim progressivamente deixando o instrumento de lado em apresentações posteriores... Por estar na Casa 1, esse Sol faz com que o foco da atenção da pessoa seja ela própria.
- o Ascendente - que representa a persona, filtro ou máscara com que vemos o mundo e somos vistos por ele - está em Leão, que se caracteriza por querer ser o centro das atenções, dominar o palco e estar nos holofotes, ser teatral, dramático, dado a exageros, magnético, ousado...

A Lua (emoções) está em Sagitário e na Casa 5 (autoexpressão criativa, lazer, prazer), com aspectos positivos com Mercúrio, Vênus e Júpiter, e uma tensão pedindo para ser trabalhada e ajustada com Urano. Isso ajuda a entender as festas de arromba que Freddie fazia, sua sensibilidade e a expressão talentosa, sensível, criativa, artística e às vezes até pouco convencional:
- Freddie, além de cantar, tocava piano e guitarra (mesmo sendo extremamente crítico em relação a si mesmo) e aos 12 anos tinha formado sua primeira banda (The Hectics) na escola. Seus amigos diziam que ele tinha uma habilidade muito grande em ouvir algo no rádio e reproduzir no piano.
- ele também estudou arte e graduou-se pela Ealing Art College. Foi ele quem desenhou o logo do Queen:


O belo desenho também tem semelhança com os brasões da nobreza inglesa, mas a coisa fica mais interessante quando consideramos a ascendência indiana - rica em simbolismo - de Freddie: o logo traz a representação dos signos astrológicos dos integrantes da banda: duas fadas (Virgem) para Freddie Mercury, dois leões (Leão) para Roger Taylor e John Deacon, e um caranguejo (Câncer) para Brian May. 

Vamos aproveitar e explorar essa questão da herança cultural de Freddie: astrologicamente, as origens da pessoa são indicadas na Casa 4, que neste caso abre em Escorpião (que não se revela abertamente a qualquer um, precisa de investigação e pesquisa, é profundo), cujo regente moderno (Plutão) está na Casa 12, casa das coisas ocultas ou que não estão às claras... e nosso amigo era um cidadão britânico, nascido na África e de origem persa/indiana; ou seja, só quem vai a fundo é que começa a descobrir a complexidade dessa figura.

Mesmo com talento e uma presença de palco espetacular, o que mais chamava a atenção em Freddie era sua voz. Touro rege a garganta e as cordas vocais, e neste mapa Touro está no Meio do Céu - que dá indicações sobre a posição social e a carreira da pessoa - e é inegável que a voz maravilhosa ajudou muito Freddie a ter as oportunidades para mostrar seu talento e competência e construir sua carreira.

Outro aspecto muito discutido sobre Freddie, nos anos 1980 e 1990, era sua sexualidade. Ele era bissexual, numa época em que isso (e a homossexualidade) ainda era motivo de polêmica, mas evitava tratar do assunto em público. Olhando a Casa 7 - casa dos relacionamentos parcerias (afetivas ou comerciais) - vemos que ela abre em Aquário, indicando a preferência por parcerias onde tenha liberdade, novidade e variação, e pouco convencionais. Freddie se relacionou com muitas pessoas, mas quem foi mais marcante e com quem viveu por anos foi Mary Austin, para quem escreveu "Love Of My Life" e a quem considerou sua única amiga de verdade na vida. Se olharmos Urano, o regente moderno de Aquário (que abre a casa dos relacionamentos), veremos que ele está na Casa 11, a casa dos amigos. Coincidência?

Por fim, Freddie contraiu AIDS em seus múltiplos relacionamentos; sua saúde piorou e ele se isolou até a morte, em 1991. O mapa nos dá algumas coisas para pensar:
- a Casa 12 é a casa das doenças crônicas, do isolamento e das coisas ocultas; no mapa de Freddie, essa Casa abre em Câncer, cujo regente é a Lua em Sagitário na Casa 5: potencial para doenças provocadas pelo prazer, levando ao isolamento;
- na Casa 12 está Plutão (sexo, morte, fim de ciclo) conjunto a Saturno (o grande maléfico, na visão da Astrologia Tradicional);

Para encerrar mais este post BY CAO, vai o link para curtir Bohemian Rhapsody: 

Até a próxima!

2 comentários :

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Excepcional e didático, parabéns!! E obrigada por compartilhar estas informações!

    ResponderExcluir