quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Mapa do Elvis Presley

Em 8 de janeiro de 1935, às 4:35 da manhã, nascia em Tupelo, Mississippi, o Rei de algo que ainda não existia. Era Elvis Aaron Presley, “O Rei do Rock’N’Roll”, “O Rei do Rock”, ou simplesmente “O Rei”.

Antes da glória, porém, Elvis – como tantos outros artistas que se tornaram ídolos e ícones do Rock – teve uma infância pobre e trabalhou em algumas funções, como lanterninha de cinema ou motorista de caminhão, que hoje em dia jamais entrariam no currículo de nenhum candidato dos programas de talentos.

Já imaginou um diálogo desses, lá pelos idos das décadas de 1950?

- O filme ontem foi bom?
- Ah, não foi grande coisa, mas o sujeito que me levou até o meu lugar, de chapeuzinho, luvinha e lanterna, falava “Por aqui, senhor, por favor.” com a voz de um Rei, todo mundo queria que ele mostrasse o caminho.

Ou esse?

- Caminhoneiro filho da p*t@! Aprendeu a dirigir onde, seu navalha?
- Ah, querido, deixe estar. Você não viu que aquela gracinha ao volante tem um jeito de, sei lá, um Rei de alguma coisa exótica?

Já dizia o ditado que quem vê cara não vê coração, mas uma olhada no mapa natal do sujeito ajuda a entender a conexão entre o que vibra no céu e o que ressoa na Terra. Então, vamos ao mapa d’O Rei.


Elvis foi filho único, pois seu irmão gêmeo univitelino Jesse nasceu morto. Em seu mapa natal, encontramos Saturno em Aquário na Casa III; essa Casa (área da vida) representa, entre outras coisas, os irmãos e a infância do nativo. Saturno em Aquário está em domicilio (está no auge de sua força) e entre as características de Saturno temos a dificuldade, a escassez ou a falta.

Temos aí um indicador de que Elvis teria poucos irmãos. E os pais de Elvis – Vernon Elvis Presley e Gladys Love Presley – eram ambos de Áries, signo considerado de pouca fertilidade. Estendo a elocubração, vemos que Aquário, o signo que está na cúspide (ponto inicial) da Casa III do mapa de Elvis, também é um signo de baixa fertilidade. “Coincidências”.

A infância de Elvis, sob a égide de Saturno, teve sua cota de dificuldades: a casa foi destruída por um tornado, o pai vivia de emprego em emprego e mal conseguindo pagar as contas, a família frequentemente recebia ajuda de vizinhos e comida do governo, e o pai e um tio de Elvis ainda passaram uma temporada na cadeia por estelionato.

Não é à toa que a mãe de Elvis era considerada a chefe da pequena família e que Elvis tenha se tornado muito ligado a ela. A Lua, indicadora de mãe no mapa, está em Peixes, ou seja, um planeta regente de signo do elemento Água (emoção) está em signo de elemento Água, resultando em sensibilidade e ligação com base nas emoções.

Pela Astrologia Moderna, a Lua em Peixes não tem dignidade (domicílio ou exaltação = força maior) nem debilidade (exílio ou queda = perda de força), mas parece sentir-se bem ali e ter uma força a mais, que é o que se via na relação entre Elvis e a mãe. Quando recuamos no tempo, porém, e olhamos os conhecimentos trazidos pela Astrologia Tradicional ou Clássica, vemos que a Lua tem dignidade de triplicidade (força) como participante (atua) nos signos de Água. Ahá!

Elvis se interessou por música, começou a cantar aos 10 anos e logo ganhou um violão no seu aniversário; começou a aprender a tocar. Recebeu lições dos tios, depois de outras pessoas. Ficou fissurado por música. Algumas pessoas reconheciam seu potencial, outras diziam que ele não tinha jeito para a coisa – chegou a receber “C” em música, na escola. Tinha timidez de tocar e cantar em público, mas continuou se empenhando em aprender e praticar.

Em seu mapa, o elemento Terra (mundo material, realizações) é o preponderante. Em suas Casas de Terra (áreas da vida ligadas ao mundo material) – Casa II (valores), Casa VI (rotinas e trabalho) e Casa X (carreira, posição social, rumo na vida) – tinha os signos de Terra – Capricórnio na Casa II, Touro na Casa VI e Virgem na Casa X. Isso reforça o que já era indicado por seu stellium (conjunto de planetas), incluindo o Sol (sua essência) em Capricórnio: enfrentar e superar adversidades, subir ao topo, realizar.

Assim, aos 18 anos fez sua primeira gravação comercial. Em 1954 (19 anos), misturando as influências musicais que trazia – gospel, country, blues, rhythm and blues, o que era o pop em sua adolescência, e qualquer outro som que gostasse, Elvis criou o que seria considerada a primeira gravação de rockabilly, uma das primeiras manifestações do que viria a ser o Rock’N’Roll.

Elvis foi um achado para os produtores: um branco com voz e espírito de negro, colocando energia e alma nas canções, e com performances escandalosas no palco, que lhe renderam o apelido de Elvis The Pelvis (por causa dos movimentos insinuantes que fazia com os quadris).  Como o menino tímido virou um pré-adulto tão desenvolto em suas apresentações?

A primeira parte da resposta está em seu Ascendente (o signo que está no nascente, na hora do nascimento da pessoa, e representa seu físico e imagem): com Sagitário ali, a promessa que Elvis trazia das estrelas é de apresentações ruidosas, expansivas, alegres, agitadas, sem limites.

A segunda parte da resposta é sua essência capricorniana de enfrentar as adversidades (sua timidez e as dificuldades materiais, por exemplo) e transformá-las em degraus para a escalada ao topo – um dos símbolos de Capricórnio é a cabra que sobe as encostas mais íngremes e chega ao ponto mais alto.

Assim, não é de se espantar que Elvis tenha conquistado o sucesso, feito fama e fortuna, e alcançado a posição de Rei do Rock; não havia lugar mais alto para ele chegar. Gravou muitos discos, fez vários filmes, virou sinônimo de showman. Mais de 30 anos após sua morte, ainda é o artista que mais vendeu na história da música, com estimativa entre 600 milhões e mais de um bilhão de álbuns vendidos. Continua sendo lembrado e parodiado, até em animações como Megamente (Megamind) em que o mocinho, Metroman, é uma mistura de Superman e Elvis Presley...

Foi o criador de um novo estilo musical; foi revolucionário e rebelde, com seu jeito de se apresentar que afrontava os rígidos padrões morais dos anos 1950; foi pioneiro, entre outras coisas, em realizar em 1973 o primeiro show transmitido via satélite ao vivo para vários países do mundo, inclusive o Brasil.

Conquistas e realizações; revolução, criatividade e pioneirismo. Isso soa a Capricórnio e Aquário. Ele tinha o Sol, Mercúrio e Vênus em Capricórnio, muita Terra no mapa, continuou cantando e se apresentando mesmo com os crescentes problemas de saúde – típico capricorniano workaholic; um Capricórnio danado de forte. E um Aquário funcionando firme e forte em parceria com esse Capricórnio, produzindo resultados sinérgicos (quando o todo é maior que a soma das partes, ou 1 + 1 = 3). Onde encontramos isso no mapa?

Encontramos isso no Saturno do mapa de Elvis; o temido e mal-falado Saturno é o dispositor final do mapa, ou seja, é o planeta que direciona todos os demais, dá as cartas e joga de mão, e é o regente de Capricórnio e (regente clássico) de Aquário.

Vejamos: Saturno está em Aquário, e rege Aquário e Capricórnio, onde estão o Sol (que rege Leão), Mercúrio (que rege Gêmeos e Virgem, onde está Netuno, que rege Peixes, onde está a Lua) e Vênus (que rege Touro e Libra, onde está Marte, que rege Áries, onde está Urano, que rege Aquário). Todos os planetas (e os signos regidos por eles) reportam-se a uma origem única, que é Saturno. Mesmo Saturno sendo o regente tanto de Capricórnio quanto de Aquário, os astrólogos tradicionais consideram que é no signo do Aguadeiro que esse planeta está mais à vontade e funciona melhor. Mais um ponto a favor da escalada do Rei ao ponto mais do reino que ele desbravou e ajudou a consolidar.

E Elvis faleceu no dia 16 de Agosto de 1977 em Graceland, Memphis. Foi encontrado no fim da manhã no banheiro da sua suíte. A morte foi causada por um colapso fulminante associado a uma disfunção cardíaca.
O ano de 1977 já tinha encontrado Elvis com a saúde deteriorada, problemas com o uso (e abuso) de substâncias químicas (legais ou não), performances sofríveis, uma caricatura do grande Rei que um dia fora. Muita grana, pouca satisfação.

Vejamos o que diz o Mapa da Revolução Solar de Elvis, e demais técnicas de previsão, para aquele ano de 77:



- Elvis estava vivendo a Profecção (técnica onde cada casa representa um ano de vida do nativo, começando pela casa 1) de Casa VII que abre em Gêmeos, que é regido por Mercúrio. Esse Mercúrio está na Casa II do mapa natal, indicando um período de relacionamentos, associações, parcerias que envolvessem dinheiro, bens. Tudo isso por meio da sua carreira e parcerias, já que esse Mercúrio é regente da Casa X ou Meio do Céu e da Casa VII. Elvis estava novamente com seu antigo empresário Tom Parker, após demiti-lo, ser pressionado pela família e ser obrigado a recontratá-lo. 

- Estava vivendo a Firdária (tema principal) do Sol, que em seu Mapa natal está na Casa II (regido por Saturno). E Sub-Firdária (tema secundário) de Mercúrio, que em seu Mapa natal está também na Casa II (regido por Saturno). O Saturno de Elvis era em Aquário, domiciliado e na Casa III. Reforçando a técnica da Profecção: novamente a Casa II envolvida, apontando período para dinheiro, bens, envolvendo a Casa III. Bens por meio de parentes, por meio de deslocamentos, suas turnês, por exemplo. Money, money.

- Nas Direções Secundárias (outra técnica de previsão), a Lua Progredida Pré-Natal está na Casa VIII (Casa da Morte).

- Nos Trânsitos, em Agosto de 77, Saturno estava a 15º de Leão começando uma oposição (tensão) ao Saturno natal de Elvis (25º de Aquário). E Júpiter (regente e almutem do Ascendente do mapa natal e na Casa XII) passava pela Casa VI da RS. Casas e Eixo das Doenças, enfermidades.

- Sabemos que os planetas transpessoais devem ser analisados com cuidado, transitam lentamente, ficando muito tempo em um Casa. No caso do Elvis, Plutão estava em conjunção (= junto) a Marte há algum tempo. Mas é um item "plus" na conta das evidências; Marte é o almutem do mapa, ou seja, um planeta maléfico junto ao protagonista, ao ator principal do mapa, sinalizando problemas.

Começamos a olhar o Mapa da Revolução Solar (RS) agora:
- O almutem (Planeta Protagonista da história e mais importante) da RS é Vênus em Peixes, exaltada (= forte) na Casa I (Vitalidade), regendo a Casa VIII (a da Morte) e Casa III.

- O Ascendente da RS (que testemunha pela Vida do nativo) abre em Aquário, regido por Saturno (o Grande Maléfico). Saturno em Leão, exilado e retrógrado (= enfraquecido) na Casa VI (das enfermidades) já mostra um ano de baixa vitalidade e possíveis problemas de saúde. Este Saturno também rege a Casa XII e é almutem das Casas I, VIII e XII, casas que testemunham sobre a vida, morte, fins, doenças, hospitais.

- A Lua do ano é Leão. Lua Majestade. Lua do Rei. Essa Lua faz aspectos desarmônicos durante os meses de janeiro a agosto com Saturno e Júpiter.
Lua junto a Saturno (aspecto exato em abril de 77) e Lua em quadratura com Júpiter (aspecto exato em ago/77). Saturno é significador natural de morte. Júpiter, o planeta que no mapa de Elvis tem papel importante e é significador da vitalidade (Casa I) e dos Fins (Casa IV), em uma Casa desafortunada (XII), e tem como dispositor a Lua. Lua que rege a Casa VIII.

A Lua-Saturno em Leão dá o Tom do ano. Ano em que o Rei estava melancólico. O coração do Rei estava triste, tanto que a morte foi causada por um colapso fulminante associado a uma disfunção cardíaca. O Coração é regido por Leão. 

Saturno em Leão é um Rei que não quer ficar  velho, ultrapassado. Não aceita passar o trono para um mais novo, ter um sucessor. E realmente não teve. Ele morreu e mesmo morto não deixou de ser O Rei.

Encerramos este post com um dos vídeos mais emblemáticos do revolucionário Rei do Rock: https://www.youtube.com/watch?v=gj0Rz-uP4Mk 

Gratidão por nos acompanhar em mais este post sobre os astros do céu e da Terra, e p-p-po-por ho-hoje é-é só, pessoal! Valeu!

Ana K. e Cao.

Nenhum comentário :

Postar um comentário